HADES

  

        As personas, deuses e lugares do Hades abrem as portas para um estudo da fantasia, religião e filosofia de uma das culturas mais difundidas de nosso tempo. O ponto de partida começa em seu fim, iniciando um ciclo como o nascimento de uma marca que pretende resgatar os valores mais humanos e belos da sociedade, usufruindo da arte e do surreal como um apelo a conscientização por um mundo que aprenda melhor a amar e se libertar.

         

        Ao criar a figura das divindades tão próximos aos mortais abre-se espaço para que homens se tornem deuses. Os gregos criaram aspectos fantasiosos de características do mundo para representá-las em uma linguagem entendível ao ser humano. Hades simboliza o nosso medo e julgamento interno. Ele reflete as consequências de todos os nossos atos, sendo amado pelos justos e temido por aqueles que fugiam de seus próprios valores. Seu domínio é a representação daquilo que não entendemos e que por isso nos assusta. Criaturas da vingança, dos sonhos, do castigo e da salvação.                       

     

       A beleza da morte; a busca pela perfeição palpável e não divina; o engrandecimento do feminino e a harmonia com a natureza. Valores perdidos aptos a serem reinstaurados em uma coleção que dá corpo a personificações gregas atemporais. A desmitificação do lúgubre, dos tons escuros, da noite e do desconhecido é peça importante na luta contra o medo do além vida e de toda uma cultura comportamental baseada em pecado e perdão.